CONFUNDIR-SE É UM ERRO. CONFUNDIR É PRECEITO DE TALENTO INCOMPREENDIDO.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Hollywood

"Um dia daqueles onde tudo acontece."
Maria Guarda-Roupa, proprietária do Salão Azul.


Cadeiras de vime, Ivanildo tece os fios, era coxo, uma chave estrela na perna tirou o brilho do seu andar. Fim de tarde, mesas fecham a rua de canto a canto. Todas as casas eram bares, todos os bares eram casas.

Os porcos chafurdam e se comprazem na lama, celerados pelas esquinas procuram. Salão Azul, Feijão Verde, Casa das Estrelas, portas abertas, pernas abertas. Ivanildo larga o serviço e começa a preparar Brigitte num pedaço de espelho preso na parede do banheiro. Desenha as sobrancelhas, entre um traço e outro, uns goles para se encarar.

Duas casas depois da barraca de cigarros, as meninas se preparam sob o comando da madrinha Menezes. Lavadores de carro, policiais, aposentados, comerciantes, poetas desconhecidos esperam.

Perfume doce de doer nas narinas, tranca a porta e parte puxando a perna esquerda.

Sônia é a afilhada mais nova, chegou ontem e estréia hoje. Acuada se esconde atrás do balcão, as vividas se distribuem pelas mesas sugando as doses, Ki-suco de guaraná, puta bêbada não fatura, lembrava a madrinha.

As pessoas eram paus, cus e bucetas. Zona de risco, três tiros a queima-roupa, o bar fechou mais cedo.

Brigitte confia três pedras na mão de Fumaça e volta para casa plantando e arrancando a perna esquerda. Sente dores no abdômen, ansiosa abre e fecha a porta enquanto prepara as cinzas num prato, acende mais uma vela, ainda não sobrou dinheiro pra voltar à luz. Abre e fecha a porta, chegou seu negro azul-cinzento. Espalhou as pedras sobre a mesa, dividiu-as com a gilete em dose tiros, com a faca fez três furos na lata, tirou a camisa e pediu um copo d'água. Brigitte não tirava os olhos dele enquanto enfiava o braço na jarra. Ouvia-se o barulho das pedras, ora no isqueiro, ora na lata derretendo e sumindo pelos furos. Deu quatro ou cinco paus, falou pouco, caiu de boca no Fumaça. Lá pelas tantas, tonta de sono dormiu no chão. Misteriosamente as velas tombaram sobre os rolos de vime. Brigitte? Virou purpurina.


Diadorim Sant'ana

9 Comentarios:

André disse...

Nuss q loko rs bacana

Mateus Costa Luz disse...

Viajei muiito com o nome do blog, :p
A história acima é um tanto pornografica, hihi
Parabéns pelo blog, sucesso ae...
Espero sua visita:
http://guardeparaosdiasdechuva.blogspot.com/
Abraços... :*

Elmo da Vinci Zaratustra disse...

A velha e famosa rua Primitivo de Miranda!

D. Delarge disse...

Concordo com ELmo... um pouco de Primitivo de miranda, um pouco do auto do reservatorio, um pouco das margens da PE 45 proximo do Lidia Queiroz...

Anônimo disse...

Gostei da linguagem... bem solta, bem poética....

Vando

Pedro disse...

Ficou bem LEGAL o seu Blog...Parabéns!!!



FOX - DOWNLOADS E JOGOS
Para downloads e jogos acesse:
http://fox-downloadss.blogspot.com/

PerpLife disse...

Muito bom. Retrata bem o que acontece nesse 'ramo'. "puta bêbada não fatura" - Excelente. Começam cedo, estréiam cedo, para os velhos ganharem grana. Devo dizer que, para mim, é um cenário revoltante.
Abraço
perplife.blogspot.com

Anônimo disse...

Virar purpurina, foi tão trágico, tão... Show!

Lêda.

bia santos disse...

A imagem dá uma dimensão do texto. Muito bem redigido. Não achei pornográfico, já li pornografias bem piores. Até gosto.

Parabéns pelo blog!

Postar um comentário

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." (Michel de Montaigne)
.
Defenda sua opnião