CONFUNDIR-SE É UM ERRO. CONFUNDIR É PRECEITO DE TALENTO INCOMPREENDIDO.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Mar...



Mar...

Límpido e denso
Sereno, bonito, encantador

Calmo, penetrante.

Mar...
Agitado e sociável
Segredos, dúvidas, indecisão

Maré alta, maré baixa.

Mar...
Olhos de ressaca e sorriso de arrecife
Gentil, aconchegante, inteligente

Mar pra peixe, mar sem peixe.

Mar...
Queria guardar numa garrafa
E beber todo dia um pouquinho,
Mas a água escapa das mãos
E escorre se juntando a imensidão

Mar...
Evapora como mágica
E ressurgi na chuva em forma de pingo
Que sinto em meu rosto
E percorre meu corpo
Mas sempre volta ao infinito

Mar...
Que seduz como o tritão
Como o boto cor de rosa que tirou férias do rio
Como a água viva...
Todavia, o tritão afoga
O boto engana
E a água viva queima

Mas como não arriscar?
É fascinante descobrir os perigos
Seus mistérios, submergir-se até o pescoço
E sentir o embalo das ondas

O medo, a angústia, a prudência
Em contraste com a satisfação,
Com o entusiasmo, com a esperança.
Esperança de se tornar um só
E ser infinito para todo o sempre.
Lua Jeniffer

2 Comentarios:

corarts disse...

Lindo o poema!!!!!!!
Adorei!!!!

cada dia q passa o blog fica melhor!!!
parabéns!!!!

Luiz Lukas disse...

Putz, bem legal a poesia e o blog...
o mar nos passa tantas emoções, e descreveu
algumas de forma interessante...

parabéns...

abraço...

http://luizlukas.blogspot.com/

Postar um comentário

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." (Michel de Montaigne)
.
Defenda sua opnião