CONFUNDIR-SE É UM ERRO. CONFUNDIR É PRECEITO DE TALENTO INCOMPREENDIDO.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O que não foi real

Quando você apareceu com ela
Tudo começou a fazer bagunça
Poderia ser eu
Poderíamos ter sido nós.
Pensei em lutar por você
Mas, não fazia mais sentido
Correr por algo que já não tinha sentido.
Ela tinha um sorriso tão bonito
E eu estava/era tão bêbada
Tão louca,
Um cigarro na mão esquerda e um copo cheio na direita,
Jogada a tudo aquilo que tinha nos feito estar aqui.
Você estava ligado a tudo aquilo que eu não pude dar
Palavras bonitas,
Carinho,
Talvez, algum recital de poesia de um autor novo.
Eu não tive a chance de dizer
Não pude dizer que por semanas
Desejei sua voz e seu corpo todos os dias
E em meio a todas as não-demonstrações de carinho
Eu queria dizer: “Venha!
Venha logo!
Antes que eu beba mais uma garrafa de vodka e mude de idéia,
Venha!
Venha agora!”
Você não veio.
É provável que não venha nunca mais.
Pedi pra take it easy,
Não era pra ter ido!
Só pedi: “take it easy!”
E não: “get away!”
Mas você get away de qualquer jeito.
De qualquer forma, eu sei
Já sobrevivi a temporais mais desgastantes
E mais impiedosos
Sobrevivi até um “já não te amo mais”
E um “eu nunca te amei”.
Quero que viva esse sorriso
E o tenha.
Nunca o terei.
E finalmente: “get away, boy!”
Mas, desta vez, “get away” de mim!

Isabela Cabral.
www.sentadonoboteco.blogspot.com

3 Comentarios:

Palavras Avulsas disse...

caramba, o ultimo verso foi o melhor!
resumiu tudo.
parabéns! ;D

juliana disse...

Não consegui distingui o gênero. Música ou poema?

Anônimo disse...

Palavras um tanto quanto conflitantes, mas não deixa de ser um belo texto apropriado para um blog que tem como nome "os confundidos".
Parabéns!

P.S.: Nanda / Santa Maria - RS

Postar um comentário

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." (Michel de Montaigne)
.
Defenda sua opnião