CONFUNDIR-SE É UM ERRO. CONFUNDIR É PRECEITO DE TALENTO INCOMPREENDIDO.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Poeminha no escuro



Lábios se encontram
e fazem beijos, mel, maçã:
cócegas no céu da boca
ao prazer do dorso...

que se escapa

Aí, fonemas pálidos
intensificam-se no eclipse

Ao pé do ouvido:
sussurros, afagos, juras criptônimas

Entre cortinas anônimas
jaz amour de blackout

E às trevas claras da lua
- entre os galhos noturnos das árvores -
pássaros cantam, tripudiam
retiram seus bicos postiços

fazem amor, à noite fria


Marcelo De Marco

16 Comentarios:

Kyanne Carvalho disse...

lindo, adorei o poema... Na verdade, poemas de amor, sempre são especiais :)

Rubi disse...

Simples mas objetivo.
Sou suspeita pra falar, pois adoro poemas, mas esse de fato é um tanto quanto peculiar. Se for seu, parabéns pela autenticidade, se for de outro autor, parabéns pela escolha.

Italo Stauffenberg disse...

muito bom o poema!

gosto desse tipo de expressão, embora, não o saiba fazer!

abraços.

http://manuscritoperdido.blogspot.com

Filipe Dias disse...

Belas palavras

http://umcontoemeio.blogspot.com/

D. Delarge disse...

Seja bem vindo Marcelo de Marco, mais um confundido no mundo...

saudações

Anônimo disse...

Olha! Um Escritor! Viva! Viva! "retiram seus bicos postiços/ fazem amor, à noite fria" Nossa!

Anônimo disse...

Me senti anestesiada com esse poema...

(Bia, MS)

Elmo da Vinci Zaratustra disse...

Grande Marcelo... Grande Professor! saudades do tempo do 3A!

Gleison Nunes disse...

Parabens pelo blog.

J.R. disse...

Adorei o poema!!! Muito bem escrito e simples!!! Parabéns pelo blog. Abraço.

O mundo da Reis disse...

Bonitos textos, maravilhoso espaço.
Seguindo te aguardo no meu ;)

Luan disse...

kkk muito bom

N@aty disse...

Lindo!

thiago disse...

Belo poema!
Parabéns Marcelo!

thiago disse...

Belo poema!
Parabéns Marcelo! Parabéns aos Confundidos!

MARCELO DE MARCO disse...

Obrigado a todos pela deferença.

Aguardo - ao menos que de passagem - uma visita.

www.marcelodemarco.blogspot.com

Grande e forte abraço!

Marcelo De Marco

Postar um comentário

"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade." (Michel de Montaigne)
.
Defenda sua opnião